domingo, 26 de junho de 2016

Mindfulness O Livro de Colorir - Emma Farrarons



#Mostrando Mindfulness o livro de colorir da #Emma Farrarons,página por página. Espero que gostem!

Me sigam: @elianecardosog
Meus blogs: http://borboletas-no-Jardim97.blogspot.com.br
http://lindamente-poderosa.blogspot.com.br
http://Saudeemquestao9.blogspot.com

domingo, 19 de junho de 2016

Colorindo Flores - Jardim Secreto - johanna Basford



Aqui neste vídeo mostro como colorir miolo de flor de uma maneira diferente. Usando boleador, etc. Espero que gostem! Então vamos ao vídeo Galera!

domingo, 12 de junho de 2016

Livros de Colorir adulto para desestressar

Como uma atividade considerada infantil virou uma febre antiestresse na Europa


Página do livro "Jardim secreto" (editora Sextante) (Foto: Sidinei Lopes/ÉPOCA)

Um estojo repleto de lápis de cor, estampado com uma flor sorridente, acompanha um livro de quase cem páginas. Poucas são as palavras, mas linhas pretas intrincadas em oposição ao fundo branco formam desenhos complexos. Páginas e páginas de desenhos esperando por cores. E quem carrega o material não é uma criança.
Livros de colorir para adultos foram uma das maiores novidades editoriais do ano na Europa. Somente na editora britânica Michael O'Mara, que conta com 19 títulos do gênero em seu catálogo, foram vendidos 250 mil exemplares até agora no Reino Unido. Segundo o gerente de vendas internacionais da editora, Pinelopi Pourpoutidou, 35 países já adquiriram direitos para reproduzir os livros. “Eles estão até vendendo mais do que livros de culinária na França!”, afirma empolgado. 
Segundo Pourpoutidou, a ideia de publicar produtos para adultos surgiu com os seguidos elogios dos pais que aproveitavam a gama de livros para crianças que a casa editorial publica sob o selo Buster Books. Decidiram então, publicar algo para eles com algumas modificações.  “Os desenhos têm de ser mais complexos do que os livros para as crianças e os livros são projetados para serem bonitos e desejáveis.”
Arte-Terapia Anti-Stress Jardins – 100 imagens para colorir Autor: coletânea Editora: Editorial Presença (Foto: Divulgação)
Antiestresse
Mais do que adultos interessados em arte ou em reviver a infância, os livros passaram a atender um público ainda maior: adultos estressados. Para isso, a grande sacada parece ter sido colocar as palavras “antiestresse” e “arte terapia” na capa.
O maior hit da Michael O'Mara, o livro The creative colouring book for grown-ups, foi  traduzido para o português e lançado em Portugal em junho (Arte-terapia Anti-Stress), na esperança de repetir, no sexto maior consumidor de antidepressivos do mundo, o sucesso já alcançado em outros mercados europeus. “Apesar de a moda ter se firmado em vários países, em Portugal ainda não obtivemos os resultados desejados”, afirmou Sara Nabais, do departamento de internacional da Editorial Presença, a editora portuguesa responsável pela tradução. A expectativa é que as vendas aumentem à medida que mais editoras lancem títulos e o gênero se torne mais comum.
Pourpoutidou aposta nisso. “Colorir é tão relaxante que, uma vez que as pessoas experimentam, elas são fisgadas.” Foi o que aconteceu com a estudante de letras e blogueira de literatura Camille Labanca, de 22 anos. Ela recebeu o livro Jardim secreto (Editora Sextante), que acaba de ser publicado no Brasil. Foi cativada pelo “antiestresse” estampado e se entregou à pintura. “Recebi numa sexta. Na segunda, metade do livro já estava pintada. Não sei se pintar é sempre uma técnica antiestresse, mas definitivamente funciona”, disse a carioca que está sempre buscando formas saudáveis de lidar com a ansiedade.
THE ART THERAPY COLOURING BOOK Autor: Richard Merritt, Hannah Davies & Cindy Wilde  Editora: Michael O’Mara (Foto: Divulgação)
Coisa de criança
O hobby, é claro, não passa despercebido. “A primeira coisa que as pessoas pensam é que voltei aos cinco anos. É natural isso. Se eu visse uma pessoa na rua pintando com lápis de cor um livro com contornos para serem preenchidos, eu pensaria também. E fiz artes visuais”, diz Camille. As pessoas só entendem o hábito quando Camille conta que a pintura tem um efeito calmante. 
A terapeuta ocupacional Ana Leite, autora do site Reab.me,  afirma que o que podem parecer tarefas infantilizadas, são também próprias para adultos. “Em tempos em que o meio digital é tão presente na vida pessoal e de trabalho dos adultos, uma atividade manual não relacionada a tecnologia pode ser a alternativa leve e que proporciona bem estar.”
Mel Elliott, autora de alguns livros famosos nas redes por apresentar celebridades a serem coloridas (da modelo Cara Delevingne ao ator Benedict Cumberbatch), afirma que não há nada de infantil na prática. “Ninguém diria isso para tricô, bordado ou outros passatempos relaxantes.”

 Colour Me Good Benedict Cumberbatch Autora: Mel Elliott Editora:  I Love Mel (Foto: Divulgação)
A arte terapeuta Deolinda Fabietti, especializada em cuidado do adulto, afirma que a pintura pode ser um canal para se expressar, ajudando a exercitar a criatividade e a alcançar maior autoconhecimento. “A arte atinge esse bem estar e traz um momento de relaxamento, que pode conduzir a um contato com seus conflitos e maneiras de lidar com eles”, diz.
Para Ana Leite, a pintura em livros pode ajudar aqueles que se cobram demais a relaxar. “Pintar quadros é uma atividade que o autor da obra, por mais simples que possa ser, tem um nível de cobrança e requer uma preocupação com harmonia e proporções que não encontramos com o ato de rabiscar, que ocorre de uma forma livre e mais espontânea”, afirma.
Jardim Secreto - Livro de Colorir e Caça ao Tesouro Antiestresse Autora: Johanna Basford Editora: Sextante  (Foto: Divulgação)
Não é terapia
Apesar dos benefícios, é importante saber que não se trata de uma terapia. “O título pode gerar essa confusão, mas não é qualquer passatempo que tem os benefícios terapêuticos”, diz Deolinda. Segundo a arte terapeuta, o estímulo gerado pelos livros pode criar reações interessantes como sudorese, dormência nas pernas ou sensações de tristeza ou prazer exacerbadas, que merecem ser observadas e podem ser depois trabalhados com um terapeuta certificado.
Caso decida testar pintar, confira algumas dicas da arte terapeuta para que o momento seja bem aproveitado:
 
Dicas de pinturas (Foto: época )

sexta-feira, 10 de junho de 2016

Suede: a tendência ganha as ruas em 2016

O tecido que imita a camurça (mas é bem mais fresquinho!) caiu nas graças das it girls e merece espaço no seu guarda-roupas durante todo o ano.

suede destaque 2
Você já deve ter ouvido falar dele. Muito usado em artigos de decoração, o suede ganhou espaço nas passarelas e hoje é um dos preferidos das it girls. O motivo? O tecido é conhecido por imitar a camurça ou o chamois, mas por ser bem mais leve, por ser usado a vontade durante todo o ano, inclusive no verão.
Com caimento leve, fácil de guardar (ele quase não amassa!) e com uma tonalidade que combina com quase tudo, o suede foi uma tendência que chegou com tudo em 2015 e vai continuar dominando as ruas em 2016.
Liberado para mulheres de qualquer idade, procure combiná-lo com camisas listradas, jeans e acessórios em cores fortes, como o pink, vermelho e turquesa!
Em vestidosNos vestidos, o suede faz a linha bohemian e fica lindo com bolsas de alças longas e chapéus.image7image9Em shorts, tops e jardineirasO tecido é tão versátil que você pode incluí-lo na produção em qualquer tipo de peça. Misturando o suede com estampas e listras, o look fica moderno e sofisticado.image10Em minissaiasSeja nos dias mais quentes com camiseta, ou nos mais frios, com cropped de manga longa e ankle boot, a minissaia suede cria um efeito elegante e descontraídoimage11image8Em vestidos, calças e jaquetasViu só como o tecido pode ser usado mesmo em qualquer produção! Para eventos a noite, invista no vestido suede longo. Calças e jaquetas são ótimas para quem precisa se manter linda o dia inteiro, mesmo com a correria do dia-a-dia.image12Em conjuntos e casacosJoviais, os casacos mais compridos e os conjuntinhos em suede, trazem conforto ao look e elegância na medida certa!image13Em camisas (+ shorts jeans)No trabalho, no happy hour com as amigas, ou numa viagem com o namorado, a combinação camisa suede + shorts jeans rende um look lindo, superconfortável e o melhor: sem amassar, mesmo depois de horas!image6Em dias mais friosOs trench coats e os casacos em suede ficam lindos quando o dia exige um casaco mais quentinho, mas ainda sim, sem o peso das lãs e veludos.image2Nos detalhesNão são só nas peças de roupas de que o suede fica lindo! Presentes cada vez mais em acessórios como bolsas, sapatos e chapéus, o tecido promete tomar as ruas em 2016.image3Para se inspirar Olivia Palermo já mostrou que é fã do suede! A it girl prova que sabe como usar o tecido com estilo, combinando a camisa de suede com saia midi de franjas. Sempre linda!image4E você, já está pronta para incluir o suede no seu dia-a-dia?

terça-feira, 7 de junho de 2016

Livro de colorir - Floresta Mágica




Aqui mostro o livro por dentro página por página, para que vocês conheçam melhor. E no final do vídeo mastro a capa do próximo livro que irei mostrar em breve. Então vamos lá ver o vídeo gente!

quarta-feira, 1 de junho de 2016

Fundo com Carimbo - Livros de Colorir



Demostro no vídeo como podemos fazer o fundo dos desenhos dos livros de colorir  de maneira criativa com carimbo. Existe diversos tipos de carimbos e você pode soltar a sua imaginação e fazer composições lindas! Bora ver o vídeo galera!

Pintura à lápis de cor




Imagem relacionada
O mundo dos lápis de cores

Lápis de cor tem uma infinidade de grandes atributos para oferecer ao artista iniciante ou experiente. Eles são portáteis, não tóxico, fácil de usar, dependendo da marca e qualidade do lápis de cor, eles podem ter um baixo custo ou não, e para aqueles interessados ​​em explorar a sua gama completa, eles são absolutamente indispensáveis.

Não tem segredo para pintar com lápis de cor, como a maioria das pessoas imaginam, mas há técnicas de como usá-lo e a prática para elaborar pinturas bem feitas ou até mesmo desenvolver novas técnicas de como pintar com os mesmos.

 Devo mencionar, que as técnicas apresentada nesta página não são as melhores ou única maneira de se pintar à lápis de cor, quem já utiliza "profissionalmente" esse material em suas ilustrações, normalmente tem sua própria maneira de manuseá-lo que aprendeu com o tempo de prática e observação.

Escolhendo o material

Se é a primeira vez que você está pintando à lápis de cor, então experimente um pequeno conjunto de 12 ou 24 cores para ver se gosta do material. No Brasil há muitas boas opções para atender todas as aplicações do desenho, como paisagens ou retratos. As marcas de melhor qualidade são mais duradouras. Os lápis de cor são melhores para contornos e podem sobrepor as cores de várias maneiras.







Use os lápis de cor para desenhar linhas de contorno e linhas paralelas ou cruzadas para criar sombras, faça rabiscos, sobreponha as cores ou desenhe linhas juntas para produzir áreas de cor.

Lápis

Existem três tipos básicos de lápis de cor. Os lápis a base de cera, que são os da imagem acima, os lápis a base de óleo (conhecidos como giz de cera, algumas marcas importadas tem seu corpo de madeira também, mas são como os giz de cera que conhecemose lápis solúveis em água (que tem uma pasta de goma, que reage à água, semelhante à pintura aquarela), ou seja os lápis aquareláveis. Cada marca de lápis tem características próprias que valem a pena experimentarMuitas lojas de artesanato ou de arquitetura vendem lápis individualmente, marcando mais fácil para você misturar e combinar seus lápis, conforme necessário.
 Faber Castell comum ou escolar, StaedtlerPolycolor (a base de cera) e Mondeluz (aquarelável) da Koh-I-Noor. Essas marcas você poderá encontrar em qualquer loja de materiais artísticos especializadas. As marcas como: PrismacolorDerwent e Raffiné, que também uso, não estão a venda no Brasil, só é possível comprá-los em sites internacionais de venda como Ebay e Amazon.com ou outros similares.


Borrachas



O sucesso de apagar suas marcas de lápis de cor depende de dois fatores principais: a cor da linha de lápis e a quantidade de pressão que foi aplicadaCores escuras tendem a manchar o papel, tornando-os difíceis de remover, e as linhas pesadas são difíceis de apagar, especialmente se a superfície do papel foi amassado.  As borrachas mas utilizadas são Tombow ou Staedtler (da direita para esquerda na imagem acima) para apagar grandes áreas borradas com resíduos dos lápis que vão se espalhando conforme vai riscando o papel, principalmente quando houve pressão do lápis sobre o papel durante a pintura. Para as áreas mais difíceis, use uma borracha elétrica (canto da esquerda para a direita), que também é difícil de encontras nas lojas brasileiras.


Não use borrachas de vinil para remover lápis de cor, o atrito entre a borracha e o papel pode realmente retirar acera do papel, mas também machuca o papel, estragando a qualidade da sua arte.

 Apontador ou Estilete?


Com os apontadores, você pode conseguir vários efeitos, dependendo de como afiada ou longa você quer a ponto do lápis, mas geralmente você vai querer manter seus lápis bem apontados em todos os momentos. Apesar de ter apontador, eu raramente uso, porque eles têm uma tendência a quebrar as pontas de lápis triturar a madeira, mesmo sendo a melhor marca de apontador portátil, mas alguns artistas gostam delesOs apontadores elétricos são os mais indicados tanto para lápis de cor como para lápis grafites, isso  se você quer as pontas sempre perfeitas e afiadas, porém são muito caros. E prefirível o estilete, pois nos poupa de ficar apontando várias vezes em curto tempo, normalmente fasemos pontas longas e não muito afiadas. Para áreas muito pequenas que exige uma precisão dos riscos ou uma pintura bem delicada, ou seja, pontas bem afiadas e se possível longas, usamos as minas grafites (abaixo imagem 01) para lapiseira 3.8mm da Koh-I-Noor que são vendidas em 24 cores e também avulso. Além dessas, há as mina grafite 2.0mm, com bastante cores variadas também da Koh-I-Noor  e a mina grafite 0.7mm da Pentel, mas que infelizmente no Brasil encontramos apenas das cores azul e vermelho. ( imagem 02)


Imagem 01
Mina grafite aquarelável koh-I-Noor


Imagem 02


Lápis Incolor ou Misturador de Cores





Estas ferramentas são basicamente lápis de cor, mas sem qualquer pigmento, e eles são ótimos para criar suaves misturas brilhantes. Depois de aplicar duas ou mais camadas de cores diferentes, estes lápis quando riscados em cima da área colorida, as cores se misturam. A superfície do papel vai se tornar um pouco escorregadio depois de usar um misturador (blender), por isso todas as cores que você adicionar sobre a camada onde foi utilizado o lápis incolor, irá deslizar facilmente no papel. Essa técnica é chamada de "polimento" (ilustração abaixo) é muito útil para fazer superfícies brilhantes em uma pintura à lápis de cor, ou quando você quer deixar a pintura mais uniforme, lisa sem ter que fazer pressão durante está colorindo seus desenhos.

 Infelizmente esses lápis misturadores de cores ainda não estão disponíveis no Brasil, somente em site internacionais. Porém, há outra alternativa de fazer a técnica de polimento, usando os marcadores coloridos, ou o marcador blender (ilustração abaixo), que são vendidos avulso ou em estojos das marcas promarker ou copic.


Marcadores Blender são ainda mais eficaz do que liquidificador lápis na mistura suas cores. Eles trabalham para dissolver suas cores e misturá-los direito no papel, o que lhe permite atingir uma aparência lisa.


Papel


Sua escolha do papel é o fator mais importante na forma como o seu trabalho vai sair. Muitos trabalhos não irão realizar-se aos rigores da aplicação de várias camadas de cor, de modo que vale a pena tomar um tempo para testar um novo papel antes de investir muito tempo em um projeto e acabar ficando frustrado e achar que pintar não é a sua praia. Se você está planejando usar lápis aquareláveis e desmanchar sua pigmentação posteriormente, certifique-se de usar papel de aquarela. Não há uma regra que diga qual é o melhor papel para pintar à lápis de cor, o que há é como o artista gosta da textura de sua pintura. Tanto faz se o papel for branco ou colorido, liso ou poroso, cada artista descobrirá o seu papel favorito para usar essa técnica de pintura, por isso é sempre bom, investir em tipos de papeis de tonalidade, gramas e marcas diferentes. Existem papes de gramatura de 100 à 224g/m², marcas como Mi-teinte, Canson - linha universtária e Filiart Renaud escololha o seu favorito. 


Materiais Extras



Os materiais extras podem ser muito importante no acabamento de sua pintura. 
Um pincel de pó (1) pode ser muito útil para remover suavemente o resíduo do lápis de seu papel, pois sua mão pode manchar as cores e se soprar no papel pode deixar gotas de saliva.  
fita crepe (2) pode ser usado para fixar o seu papel na mesa, evitando ficar girando o papel enumeras vezes, onde haverá outros possíveis resíduos de lápis e sujando o seu papel frente e verso. 
Os lápis de cor policromos e aquareláveis ( quando a pintura for sem adição de água) facilmente borram, então ao final da pintura, usar spray fixadores (3-5) pode ser de extrema importância para durabilidade de sua arte, só não exagera na aplicação, pois alguns fixadores podem deixar uma camada fina de névoa azul esbranquiçada ou amarelada de cera que pode se desenvolver quando você trabalha com várias camadas de cor e aplicapressão no papel. 
Sabe quando o lápis já está no seu finalzinho, que já é quase impossível de segurá-lo entre seus dedos e continuar pintando? Pois bem, o prolongador de lápis (6) foi criado para isso, para você poder aproveitar ao máximo do seus lápis de cor. 
Se você não tem prática com estilete para deixar suas pontas bem finas, ou com apontadores, que sempre acaba quebrando as pontas e ter que apontar novamente. Você pode usar a lixa para lápis (4) tanto para grafites como para lápis de cores, se preferir, as lixas comuns para madeira também serve. 
E como toque final em sua pintura, você pode dar alguns efeitos de luz usando a caneta Posca (7 - 8) branca ou preta ou qualquer outra cor que você queira dar mais destaque no seu trabalho.


Como misturar e combinar as cores

Os lápis de cores são transparentes, porém não é possível misturar as cores como se estivesse usando tintas ou pasteis. Para formar as misturas de cores, você precisa criar camadas em cima de camada de cor.
Roda de cores


A roda de cores é uma ferramenta de referência útil para a compreensão das relações de cores. Sabendo onde cada cor encontra-se no círculo de cores torna fácil entender como as cores se relacionam e reagem uma com a outro.

 Na imagem acima, A roda de cores básicas é formadas pelas três cores primarias  e as secundárias em fatias menores centralizadas nas cores terciárias.

Conhecendo um pouco sobre a teoria da cor básica pode realmente ajudá-lo  no desenho com lápis de cor.

*Exercício: Crie uma roda de cores básicas.

  
   Para ter uma noção de como as cores funcionam juntas e se relacionam entre sifaça uma roda de cores. 




Use um prato para fazer o círculo e divida-o em seis fatias. Coloque as três cores primárias (azul, amarelo e vermelho) em cantos opostos e distante um do outro, ou seja, pintando uma fatia e a outra não. Nas fatias que ficarão vazias, coloque as cores secundárias:
  • Verde - formado por azul e amarelo
  • Laranja - formado por amarelo e vermelho
  • Violeta (ou púrpura) - formado por azul e vermelho
E pronto você terá sua primeira roda de cores básicas.  

Você pode continuar a fazendo isso com uma roda maior dividido em 12 ou 24 fatias e continue a misturar as cores primárias e cores secundárias juntas. quando misturamos as cores primárias com as secundárias encontraremos as cores terciárias. Fazer uma roda de cores com lápis de cor, não é necessário misturar as cores como foi falado anteriormente, pois num estojo de 24 cores, pode se dizer que se encontrará as cores primárias, secundárias, terciárias e as complementares, você só precisa saber quais são cores corretas que pertencem a cada grupo.


Cores Terciárias



 Cores Complementares


As cores complementares são as duas cores em frente a outra na roda de cores (como o vermelho e o verde, laranja e azul ou amarelo e roxo).


Usando Cores Complementares
Quando colocados lado a ladoas cores complementares ficam vivas, formando contrastes interessantes.Usando uma cor complementar no fundo fará com que o desenho se destaque, impressão de estar fora do papel.


  

Agora pratique bastante as combinações de cores, a imagem acima serve de exemplo para você trabalhar, mas você também pode experimentar outras combinações.


Você também pode fazer um aquecimento antes de realmente pintar. Em um pedaço de papel de rascunho,faça diferentes rabiscos e linhas, mude a pressão e tente segurar seu lápis de diferentes maneiras.



A maneira como você segura o lápis terá um impacto direto sobre os traços que você fará. Alguns rabiscos permitirá que você pressione com mais firmeza sobre o papel, resultando em traços escuros, densos.







 Bom, agora é só pegar seus lápis de cores e papel e praticar muuuuito. :) 

Agora que você já tem uma certa prática de como segurar o seu lápis de cor vamos seguir com algumas dicas básicas de dar volumes nos desenhos.

Seguindo Contornos

Para que os desenhos pareçam naturais e e tenham volume e profundidade, os traços de lápis de core (se necessário traços subsequentes de água ou solvente, deve ser sempre aplicados na mesma direção e seguir os contornos, textura ou grão do tema a ser colorido.



Adição de cor gradualmente

Independentemente da técnica, a cor é sempre adicionado de forma gradual, com o mínimo de pressão possível e uma ponta de lápis afiada. 

Aplicação pesada de pigmento feito tudo de uma vez vence a sua capacidade de utilizar características exclusivas translúcidas de lápis de cor, porque eles são simplesmente dominado.


Contaminação de cor 

As cores podem ser contaminadas sem querer misturar uma com a outro. Devido a translucidez do lápis de cor, a contaminação é mais perceptível quando a cor escura é arrastado para uma cor clara, como mostra a imagem abaixo. Para evitar a contaminação de áreas de cor mais clara, o ideal é arrastar a cor clara para cor mais escura.


 Pintando da escura para o mais claro

Pinte o valor mais escuro de uma área específica em primeiro lugar, e em seguida, adicione cores mais claras na parte superior. A translucidez única do lápis de cor permite que os valores mais escuros apareça através decores mais claras pintadas sobre eles, enquanto as cores mais claras mantêm a sua visibilidade.

 Agora que tal usar esse mesmo exemplo e tentar pintar o seu próprio vaso, ou desenhe qualquer outro o objeto no qual você poderá aplicar essa mesma técnica.

7 dicas imperdíveis para colorir com lápis de cor



Amo pintar com lápis de cor. Essa minha paixão começou quando eu ainda era bem pequena e, desde então, o lápis de cor sempre foi meu companheiro.

Nunca fiz curso e nem nada parecido, desenvolvi algumas técnicas próprias até a pintura se tornar algo natural para mim.

Ninguém nunca vai dominar a técnica de pintar, mas se pode adquirir certa qualidade, com muito esforço, estudo e dedicação. Que tal compartilharmos nossos conhecimento a cerca da arte de colorir e aprendermos juntos diferentes truques?
Me contem suas dicas, as marcas que usam, tipos de papel, e continuem lendo que logo abaixo eu conto meus macetes.

1// Papel

Dependendo da época do ano, as folhas de papel estão com muita umidade, dificultando a pintura. Nesse estado, os papéis não desgastam tanto o lápis de cor, fazendo com que você demore mais a pintar determinada área. Além disso, dependendo da pressão que você põe no lápis, “barrigas” vão se formando na área pintada. Um truque que sempre uso é passar o papel com ferro de passar roupa. É ótimo! Façam isso e vocês vão sentir a diferença. 

2// Superfície

Escolha sempre uma superfície lisa e dura para pintar. Há quem goste de pintar sobre a prancheta ou até mesmo sobre a pilha de papel, mas a dica aqui é a seguinte: tente sempre pintar em uma superfície de vidro. Por quê? Porque essas superfícies não são ásperas e, assim, as marcas do lápis não ficam tão evidentes, tornando a pintura mais homogênea.

3// Lápis de cor

 Existem varias marcas de lápis de cor, cada uma com sua característica: Faber CastellPrisma Color e Caran D’ache, e as três possuem características muito distintas entre si. A Faber Castell possui lápis mais duros se comparados às outras e, por demorarem mais a desgastar, permite que a pessoa controle a intensidade da cor, o que dá menos margem para erros. 
A marca Prisma Color tem lápis muito macios, necessitando de pouca pressão para conseguir tons mais escuros. Por causa dessa característica ele é muito utilizado para sombras e pequenos detalhes.
Os lápis Caran D’ache são um caso à parte. Eles possuem cores que não são comuns aqui no Brasil.

4// Esfuminho

Esfuminho é um rolo de papel em forma de lápis que tem como função tornar mais uniforme o grafite, mesclando a pintura até ficar homogênea. Esse material é mais indicado para lápis grafite, mas nada impede que seja utilizado em pintura com lápis de cor. É necessária muita força no pulso e paciência, mas juro que no final o efeito fica lindo.

5// Lápis branco

Muitas pessoas se perguntam qual a verdadeira função do lápis branco. A resposta é muito simples: pintar branco em papéis coloridos. Sim! Essa é a função dele, como a de qualquer outro lápis. Mas o que vou falar agora é uma dica preciosa. Por que não utilizar o lápis branco como esfuminho? E é essa a função que eu dou para eles. Sempre que pinto uma área e vejo que não ficou tão uniforme a pintura, já venho com o lápis branco e mesclo as cores. É batata!

6// Movimentos

O movimento feito ao colorir é fundamental para conseguir uma pintura uniforme. Utilizo três movimentos básicos: redondovai e vem e aperta e puxa.  O movimento redondo é utilizado para pintar áreas pequenas e com detalhes, o vai e vem é ideal para áreas maiores e o aperta e puxa é mais indicado para cabelos. Um detalhe importante é que sempre mudo a intensidade da cor. Em todos os movimentos eu começo pintando mais escuro e vou diminuindo a pressão para que a cor varie até o branco, facilitando para o mesclagem, o último passo.

7// Mesclar

Para mesclar diferentes cores, eu começo colocando mais pressão no início e vou diminuindo até a cor chegar ao branco, tomando cuidado para a transição das cores ficar gradual. Depois disso, pego a segunda cor e repito o processo por cima, mas dessa vez com menos intensidade no início e mais pressão no final, para a cor mesclada ficar inteiramente com a mesma intensidade.
Esse é o método que utilizo para pintar meus desenhos. Espero que essas dicas funcionem para vocês também.
Obrigada pela visita e até mais!


Curiosidade - As 20 técnicas mais utilizadas em Scrapbooking

As 20 técnicas mais utilizadas em Scrapbooking

  1. Aging - Técnica que consiste em fazer com que alguma coisa pareça velha, amarelada e antiga;
  2. Color Blocking - Técnica onde blocos de papéis coloridos compõem (diagramam) uma página de scrapbooking ou cartão. Essa técnica também é conhecida por bloco de cores;
  3. Crumpling - Ato de amassar o papel para criar textura;
  4. Distressing - Técnica que consiste em fazer com que alguma coisa pareça bem usada, gasta, um pouco "suja", estragada e desbotada;
  5. Dry-embossing - Técnica de relevo através de pressão (Veja "Relevo");
  6. Embossing - Veja "Relevo";
  7. Iris Folding - Técnica onde pedaços de papel são dobrados para formar um desenho pré definido através de um molde;
  8. Layering - Técnica de se fazer várias camadas com o papel, sobrepondo uma folha a outra, criando um efeito de "escada" ou "degrade";
  9. Mosaico - Técnica de cortar as fotos em pedaços e remontá-las na página, geralmente deixando uma pequena distância entre os pedaços de foto;
  10. Punch Art - Arte de se formar figuras com confetes de outros formatos. Por exemplo, podemos formar uma flor com confetes de coração (para as pétalas) e de círculo (para o centro). Como outro exemplo, podemos usar ainda vários confetes de círculo para formar uma centopéia;
  11. Quilling - Técnica onde tirinhas de papel são enroladas e depois moldadas em vários formatos (redondo, coração, quadrado, etc) para se criar lindas figuras;
  12. Quilt - Em scrapbooking, é a técnica de simular a arte de patchwork com papéis (geralmente, ao invés dos tecidos);
  13. Tearing (Rasgado) - Técnica de rasgar o papel de forma a criar uma faixa (do ragado) na borda do papel. Muito utilizado para dar textura aos trabalhos;
  14. Relevo - Técnica usada para produzir efeitos de 3D no papel. O relevo pode ser feito através de: (1) Pressão (com um stylus ou boleador e um stencil metálico); ou (2) Calor (com o uso de carimbo e pó para relevo/"embossing powder"). (3) fita banana;
  15. Resist - Técnica que consiste em criar uma camada de proteção em cima de um desenho ou uma figura carimbada, evitando que este desenho seja desfeito ao ser pintado por cima. Nessa técnica a figura carimbada (ou desenhada) permanecerá no papel após esse ser pintado com tintas de carimbo, refil de almofadas de carimbo, etc. O papel ficará todo colorido, mas a figura não ficará coberta com a tinta;
  16. Ribbon - Técnica que utiliza fitas (lisas, decoradas, rústicas) para enfeitar páginas de scrapbooking, tags, cartões, etc.;
  17. Roll Torn Edges (ou rolling) - Técnica que consiste em enrolar a borda rasgada do papel e depois pintá-la (com chalk, metallic rub-on, almofada de carimbo, etc.);
  18. Serendipity - Técnica onde se cria uma composição colando pedacinhos de papel (retalhos) em um papel de fundo (espécie de mosaico);
  19. Shabby Chic - Estilo de scrapbooking onde as técnicas de distressing e aging (envelhecimento) são aplicadas para dar um aspecto de usado, porém elegante, às páginas;
  20. Shaker Box - Técnica com um enfeite em 3D composto de duas camadas afixadas pelas bordas com fita banana deixando o interior livre para se colocar pequenos objetos (miçangas, areia, porpurina, etc). A camada superior possui uma janela feita com transparência para que se possa visualizar o conteúdo da caixa.
Fonte: Dias, Cristiane - www.scrapbookbrasil.com.br